Conheça a História do Cacau e suas Variações

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

A história do cacau é mais antiga que o Brasil. Bem mais. E o seu local de origem não foi muito longe daqui, foi na América Central.

Se você não está ligando o nome ao grão ou ao produto correto, uma palavra bastará para saber exatamente do que estamos falando: chocolate.

Sim, o cacau é a matéria prima para desenvolver uma das melhores invenções que a humanidade já produziu, o doce mais saboroso do mundo, o chocolate.

Mas para chegar até a versão que temos mais contato, aquelas barrinhas que dissolvem em nossa boca ou o pó dos achocolatados, precisou percorrer um longo caminho.

Contaremos mais detalhes e curiosidades sobre a história do cacau a seguir.

Confira!

A planta do cacau

A árvore que origina o grão na qual é produzido o cacau se chama cacaueiro. Esse ao menos é o nome mais popular da Theobroma cacao, o seu nome científico e latino dado por Carl Von Linné, cientista sueco.

A história do cacau

Árvore que encontrou excelentes condições de cultivo no território que hoje é conhecido como México há mais de 3000 anos.

Quem habitava o local nesse período era os olmecas, a primeira cultura a ter alto desenvolvimento na região e foi a responsável pelo primeiro plantio de cacaueiro.

Mas foram os Maias, que chegaram alguns séculos depois na área após o desaparecimento dos olmecas, que passaram a utilizar os grãos para o preparo de uma bebida usada com regularidade em rituais.

Essa bebida era muito amarga e ardida e seu principal uso era em rituais sagrado de sacrifício.

Toltecas e Astecas

Assim como os Olmecas, os Maias desapareceram repentinamente, deixando espaço para os toltecas em 900 A.D. Depois foi a vez dos astecas ocuparem o espaço.

O que ambas as civilizações têm em comum é que continuaram a usar o cacau como bebida especial e sagrada.

A nomearam como “xocoatl”, onde “xoco” é igual a “amargo” e “atl” é igual a “água”.

Os astecas consideravam o cacau como uma bebida energética e fonte de sabedoria. Também a consideravam afrodisíaca e relaxante.

Outra curiosidade sobre a história do cacau é que nessa época o seu grão era usado como moeda e oferenda aos deuses.

Os Europeus

Os Europeus navegadores e colonizadores foram um marco importante para a história do cacau, pois ao chegarem ao Novo Mundo conheceram essa bebida exótica e levaram-na para o velho continente para ser avaliada pelos paladares das realezas.

O primeiro Europeu a ter contato com a bebida foi Cristóvão Colombo em 1502. Não se agradou muito da bebida, pois a achou amarga e picante demais. Por isso, não foi o principal divulgador no velho continente.

Esse papel coube a Hernando Cortés, anos mais tarde, em 1528, que levou a receita para a sua terra natal, a Espanha.

Os espanhóis tiveram a mesma impressão de Colombo, mas viram potencial na bebida. Resolveram fazer testes como aplicar açúcar na fórmula e descobriram um novo e maravilhoso mundo de sabor.

Rapidamente a bebida passou a ser considerada uma iguaria elegante e por isso apreciada apenas pela corte espanhola por décadas a fio.

O casamento

Um casamento foi importantíssimo para a história do cacau.

Ocorreu em 1615 a união matrimonial entre a princesa espanhola Anna e o rei francês Luís XIII.

A princesa apresentou a bebida à base de cacau ao monarca francês e agradou o marido.

Este logo passou a consumir com frequência e espalhar para outras cortes reais.

Dessa forma o cacau passou a ser divulgado por todo o continente e ganhando muitos apreciadores.

Tal volume de pessoas conhecendo a bebida foi de suma importância para a história do cacau.

Da nobreza a plebe

Na época de popularização do cacau ele era consumido na forma líquida e apenas pelas realezas de cada país, pois era considerado uma bebida nobre.

Com a bebida chegando à boca de alemães, italianos, belgas e principalmente suíços novas experimentações foram realizadas até se chegar ao chocolate na versão sólida como conhecemos.

Ou quase.

O cacau passou a ser comercializado na forma de chocolate em barras, grandes empresas foram construídas e solidificadas em torno desse negócio. Mas o produto ainda era considerado amargo e a barra era arenosa e quebradiça.

Coube ao suíço Rodolphe Lindt em 1879 escrever mais um capítulo importante da história do cacau e inaugurar a era do chocolate moderno.

Conchagem

O suíço inventou um processo de produção de chocolate chamado de conchagem. Com esse processo passou a ser possível fazer barras mais consistentes que derretem na boca de seus consumidores.

Sem dúvida é o tipo de chocolate que mais se aproxima ao que se comercializa nos dias atuais.

De onde vêm os melhores cacaus?

As regiões de climas temperados e solos férteis foram vitais para a história do cacau, pois são em tais condições que o cacaueiro se desenvolve melhor.

Atualmente os maiores produtores de cacau do mundo são Guiné, no continente africano, Gana, atualmente o maior produtor mundial, e o Brasil, que já foi o maior produtor do grão.

O nordeste brasileiro se destaca na produção de cacau, especialmente a Bahia.

Como o cacau se torna chocolate?

Como o grão do cacaueiro se torna as deliciosas barras de chocolate que adoramos tanto apreciar?

Depois de colhidos, os grãos são limpos e depois tostados em temperatura que varia de 136º a 176 Cº.

As sementes são descascadas (cascas que são usadas como fertilizantes, geralmente), e depois moídas por meio de prensas.

As etapas posteriores transformam a tritura em uma pasta para depois virar uma massa de chocolate.

Como bem sabe, existem vários tipos de chocolate e eles são produzidos de acordo com a quantidade de manteiga de cacau, açúcar e essência aromatizada na composição.

O quê o cacau produz?

Seguindo com este artigo sobre a história do cacau, o grão é mais conhecido por ser a matéria prima do chocolate. Contudo, durante a sua fase de processamento para se tornar o doce tão famoso é possível extrair elementos dele que derivam em outros produtos.

Vimos que as cascas são utilizadas para produzir fertilizantes, mas os produtos que derivam não param aí.

Com os grãos é possível produzir também a famosa manteiga de cacau.

Também é possível produzir produtos alimentícios como:

  • Geleia;
  • Vinagre;
  • Vinhos;
  • Licores;
  • Aguardentes;
  • Sabonetes;
  • Cosméticos.

E outros produtos farmacêuticos.

O que é cacau alcalino?

Já ouviu falar de cacau alcalino?

Se trata da versão com menos gordura do cacau tradicional e com a adição de substâncias alcalinas, como o carbonato de potássio.

O cacau em pó alcalino tem uma tonalidade mais escura e tons avermelhados. Comparado com o cacau tradicional tem um sabor mais suave e se mistura mais facilmente com outros líquidos. Além disso, a sua acidez é menor, pois é mais puro.

Qualidades que fazem o cacau alcalino ser o preferido de muitos cozinheiros para fazer bolos, biscoitos e doces.

Ele ainda é mais indicado por nutricionistas por ter mais vitaminas e minerais como:

  • Fósforo;
  • Cálcio;
  • Ferro;
  • Potássio;
  • Sódio;
  • Vitamina C.

Onde encontrar cacau e suas variações?

Se você está atrás de variações de cacaus, na Ingredientes Online você encontra.

Confira o nosso catálogo de produtos e garanta o seu agora mesmo.

Entregamos direto na sua casa.

Confira!

Gostou deste conteúdo sobre a história do cacau? Então curta, compartilhe, avalie. Seu apoio faz a diferença.

Comentários no Facebook

  • Alimentos para ajudar na Imunidade
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×